Carreira e TrabalhoNova Zelândia

Transição de Carreira ao Emigrar

Você não precisa trabalhar em qualquer coisa pra sempre, diz a Coach de Carreira Mariana Melo.

Você largou a sua profissão quando saiu do Brasil, chegou na Nova Zelândia e trabalhou em qualquer emprego que aceitasse o seu nível de inglês e te desse o visto de trabalho, e agora está de saco cheio de trabalhar em empregos que não tenham nada a ver com você, só para sobreviver.

Você quer fazer uma transição de carreira para um trabalho que faça mais sentido pra você, que te traga realização profissional e te proporcione o estilo de vida que você sonhava ter quando saiu do Brasil, mas não faz ideia de qual caminho seguir ou por onde começar?

Tudo parece muito difícil, muito incerto, muito demorado, muito caro.

Eu te entendo e trago duas boas notícias pra você.

Primeira boa notícia

A primeira é que você não está sozinho. Esta é uma situação muito comum para vários de nós imigrantes, em que nos encontramos em uma espécie de limbo profissional.

Sabemos o que não queremos, mas não sabemos pra onde vamos.

As vezes você olha ao seu redor e vê vários outros imigrantes aparentemente bem sucedidos, que falam inglês fluente, já têm o visto de residência, conseguiram se reinventar profissionalmente e hoje têm um excelente emprego ou um negócio próprio, e a primeira coisa que vem na sua cabeça é “Fácil pra você… (complete a frase como quiser)”.

Como se estas pessoas tivessem algum super poder que você não tem.

A verdade é que a grande maioria dos imigrantes que hoje se sentem realizados profissionalmente, já estiveram neste mesmo lugar onde você está hoje e usaram esta crise como uma oportunidade de autoeducação e autoconhecimento, e se colocaram em ação.

Eu também passei por isso e fiquei nesse limbo por mais ou menos 3 anos, entre 2013 e 2016. Aproveite e leia minha história neste link aqui: Mariana Melo, a busca por um trabalho com propósito.

O Vazio

Hoje eu vejo esse “vácuo profissional” como uma fonte de renascimento e criatividade, cheia de oportunidades que jamais enxergaríamos se não nos déssemos a permissão de viver o vazio, de sustentar o estado de não-saber e de olhar o mundo do trabalho a nossa volta com um olhar de curiosidade.

Como diz o Tony Robbins, “A dor serve para nos colocar em ação, e não para causar sofrimento”. Mariana

A incerteza muitas vezes nos traz um sentimento de impotência, mas é essencial que você entenda que incerteza e impotência são duas coisas completamente diferentes.

O novo nasce do caos. Segundo Rudolf Steiner, o pai da Antroposofia que é uma das ferramentas do meu trabalho atual, a verdadeira liberdade se encontra no caminho do meio – em tudo.

A tensão criada por dois mundos opostos é absolutamente necessária, e o primeiro passo para que o processo criativo de desenvolvimento aconteça.

Por um lado, trazemos conosco a memória de um passado que já conhecemos e sabemos o caminho, e isso nos traz um sentimento de segurança. Por outro, nos deparamos com esse chamado para nos reinventar, começar algo novo. Quando a incerteza nos leva ao medo e ao sentimento de impotência, corremos o risco de nos agarrar ao nosso passado e tentar de todas as formas, recriar o que já tivemos.

Muito cuidado! Se você parar pra pensar e for 100% sincero com você mesmo, quando você saiu do Brasil você queria, de alguma forma, se reinventar – lembra? Se mudar para a Nova Zelândia foi apenas o primeiro passo de um caminho não linear.

“A imigração é um meio, e não um fim.”

 

Somente abraçando os dois mundos, o passado certo e o futuro incerto, é que você criará uma terceira coisa – no presente.

Segunda boa notícia

A segunda boa notícia que trago para você, é que você não precisa gastar uma fortuna para começar a se movimentar em outra direção, e pra te ser sincera, eu acho que nem deveria. Pois nem todas as profissões exigem um curso superior, e quando a assunto é transição de carreira, a minha sugestão é que você não gaste seu dinheiro, tempo e energia em uma faculdade antes de fazer uma grande trabalho de autoconhecimento e investigação do que realmente faz sentido pra você.

Eu trago aqui 3 dicas valiosas de coisas que você pode fazer agora mesmo.

1- Siga a sua curiosidade e experimente

Se você sente curiosidade por algo, busque mais sobre o assunto. Assista vídeos no YouTube, escute podcasts, leia livros e encontre alguma forma de experimentar como seria trabalhar com aquilo.

Você pode se oferecer para fazer algum trabalho voluntário na área, acompanhar o dia de um profissional da área como observador e entrevistar pessoas que trabalhem com aquilo para saber como é a realidade daquela profissão.

Experimente tudo o que aparecer na sua mente como possibilidade. Durante o meu período de experimentação, eu era gerente de um hotel, e fazia cursos curtos de diversas áreas, incluindo contabilidade, hipnose e marketing. É fazendo que se descobre o caminho.

Como diz uma de minhas mentoras: “A vida é cíclica, e a experimentação é obrigatória”.

2- Crie a sua visão de mundo ideal

Isso é uma atividade que parece simples mas é muito poderosa, e que usamos com frequência em processos de coaching.

Qual o mundo você quer ajudar a criar? Se você não faz ideia, comece pela dor. O que você não suporta ver no mundo?

Se tivesse uma varinha mágica e conseguisse fazer algo deixar de existir, o que seria?

Depois de responder estas duas perguntas, se pergunte então “e o que eu quero que exista, ao invés disso?”.

Vou dar um exemplo: pra mim, uma das maiores dores é ter a obrigação de ter um emprego qualquer para sobreviver e se conformar a uma realidade profissional que nos desempodera, desmotiva, suga a nossa energia e apaga a nossa luz. E o que eu quero ao invés disso?

Eu imagino um mundo onde as pessoas são protagonistas das próprias carreiras, e se sentem inspiradas pelo trabalho que fazem. Esse é o mundo que eu quero ajudar a criar. A partir daí, podemos então nos perguntar se o trabalho que fazemos ou pretendemos fazer, nos aproxima ou nos afasta desta visão.

3- Crie uma rede de apoio

A influência das pessoas que te cercam pode te empoderar ou te aprisionar.

Uma coisa é certa: muitos parentes e amigos queridos projetarão o medo deles em você, com a intenção de te proteger. Acolha, agradeça  e busque as pessoas certas para te guiar no seu processo de tomada de decisão.

Se pergunte:

  • Essa pessoa já teve sucesso em uma transição de carreira depois dos 30?
  • Já largou tudo alguma vez na vida e recomeçou do zero, criando uma vida mais alinhada com quem são?
  • Ela te apoia com todo o coração, independente do caminho você resolver seguir?

Se a resposta for não, saiba que esta pessoa, por mais querida que seja, não é a melhor pessoa para fazer parte do seu processo de tomada de decisão.

Busque outros imigrantes que já passaram por o que você está passando, se junte a outros que estão passando por esta transição ao mesmo tempo que você, aprenda com aqueles que hoje fazem o que você gostaria de fazer um dia, tenha mentores.

 

Ah, e sabe aquele amigo ou parente que te apoia independente do caminho? Dê a ele o lugar nobre de Guardião Do  Sonho. Peça-o para sempre te lembrar de não desistir, te lembrar de quem você é na essência, e de não se esquecer nunca da visão de mundo que você quer ajudar a criar.

Gostou deste artigo? Deixe um comentário.

Mariana Melo

Mariana mora em New Plymouth, e está na NZ desde 2005.

Hoje trabalha como Astróloga e Coach de Carreira, além de possuir um cargo de Accounts Receivable Coordinator em uma empresa local. Seu maior hobby é caminhar pelas maravilhosas trilhas no Mt Egmont, em Taranaki, e dedica grande parte do seu tempo a cursos relacionados desenvolvimento humano.

A imigração a levou a um processo profundo de transição de carreira, e ela acredita que realização profissional e sentimento de pertencimento são possíveis para qualquer imigrante. Ela vê o autoconhecimento como a chave para o sucesso, em qualquer lugar do mundo.

Contatos profissionais:
www.mariana-melo.com | Instagram: @mariana.melo.nz | www.linkedin.com/in/marianamelonz

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo